Reforma da igreja

A igreja não será eficaz no objetivo de transformar pessoas, lugares e nações, enquanto não passar por um profundo processo de reforma e retorno às antigas veredas e aos eternos fundamentos de Deus e de sua Palavra.

Atualmente estão no auge assuntos sobre transformação, conquista de territórios e ganhar multidões para Cristo. Tudo isso é bíblico e devem ser objetivos da igreja, não há dúvidas.

Entretanto, se observamos bem, com olhos capacitados pelo discernimento do Espírito de Deus, notaremos muitas semelhanças entre comportamentos na atual igreja do Senhor Jesus e no mundo.

O sincretismo religioso, o ecumenismo, a egolatria, o egocentrismo, o humanismo, o liberalismo, o racionalismo árido, a ortodoxia sem piedade, a numerolatria (busca exagerada de adeptos), o hedonismo (busca exagerada do prazer), a deturpação bíblica na defesa de opiniões e paixões carnais, o raquitismo bíblico, o abandono das antigas veredas e dos fundamentos de Deus, a remoção dos marcos antigos deixado pelos nossos pais na fé, entre outras misérias humanas, corroeram como câncer e como lepra os alicerces, as portas e os muros da igreja, assim, a igreja padece de enfermidade terminal e está quase à morte, totalmente desprotegida das assolações e dos ataques mundanos.

O chamado de Deus é para que os guerreiros da igreja (povo santo de Deus) saiam para fora dos muros da igreja para conquistar pessoas, territórios e nações (Ide de Jesus em Marcos 16:15). Mas entenderam tudo de forma errada! Ao contrário de saírem pelos muros como exército do Deus vivo para a conquista de novos territórios no mundo, derrubaram os muros da igreja (fundamentos bíblicos, veredas antigas de Deus e marcos antigos de nossos pais na fé) para se socializar com o mundo, assim, o mundo invadiu a igreja.

No intuito de ganhar vidas para Deus, permitiu-se a entrada de heresias humanas na igreja. O objetivo era que todas as tribos, classes, guetos e pessoas se sentissem "em casa", se sentissem incluídos e se sentissem bem. Com isso, acontece novamente com a igreja, o que já aconteceu em outros momentos no passado, os ídolos e suas práticas heréticas dominaram a igreja e vão matando-a lentamente.

Assim, torna-se cada vez mais difícil encontrar uma diferença entre o santo e o profano (igreja e mundo). Todos se sentem bem como participantes da igreja hoje em dia. Antigamente o cristão era um diferente. Ele se destacava na sociedade como farol de luz. Jesus não quer participantes, ele quer filhos convertidos e comprometidos que o temem e obedecem sua Palavra. Hoje na igreja vemos adesões e não conversões. Os templos estão inchados, repletos de adeptos, mas onde estão os verdadeiros filhos de Deus?

Mas o que importa? Afinal a preocupação atual é com números de membros e com a inclusão social a qualquer custo. A inclusão social é meta indiscutível do reino de Deus, pois é plano eterno de Deus incluir todas as pessoas, de todas as raças e nações em seu reino, através da obra do Senhor Jesus na cruz.

O erro é quando busca-se incluir a sociedade na igreja trazendo para dentro de si seus costumes heréticos e contrários à Palavra de Deus. A Palavra de Deus é incompatível com as práticas mundanas, por isso muitos declaram insistentemente que a Palavra de Deus é antiquada e retrógrada, pois não se encaixa na sociedade moderna, suas práticas e costumes.

Afirmam por aí que a sociedade mudou, os tempos mudaram, então a igreja tem que se adaptar e mudar também. Como a palavra de Deus é imutável, irrevogável e infalível, então, não se encaixando Ela na sociedade moderna, acaba sendo deturpada, distorcida ou deixada de lado como base única e fundamental para sustentação das igrejas, suas práticas e doutrinas.

Assim, por desconsiderarmos a Palavra de Deus como base úncia e fundamental da igreja na atualidade, o mundo entrou para dentro dos muros da igreja e empurrou para fora o Espírito Santo de Deus e Sua Bendita Glória. Vale lembrar que a igreja são as pessoas e não os prédios, assim, as pessoas estão cheias de mundo e vazias de Deus.

Desse jeito, temos a pergunta que não quer calar: - Como vamos transformar o Brasil, a sociedade, as pessoas e conquistar os territórios, se nós, a igreja, é que fomos transformados e conquistados?

Como pode o igual mudar o outro igual? O que adianta trocarmos "6 por meia dúzia"? O que adianta pintar de preto no negro! O que adianta acender a luz debaixo do sol de meio dia?

A igreja atual não poderá mudar o mundo por estar muito semelhante ao mundo! Devemos ser semelhantes e seguidores de Cristo Jesus, não do mundo! A igreja atual não terá eficácia em obras de transformação se não passar, urgente, por uma REFORMA! A igreja já foi reformada em momentos da história e é chegada a hora de fazermos isso novamente. Precisamos de uma igreja reformada, mas sempre se reformando pela imutável, irrevogável e infalível Palavra de Deus.

A palavra de Deus que clama no momento de dentro da Bíblia está registrada em Jeremias 6:16:
"Assim diz o Senhor: Pode-vos à margem do caminho e vêde, perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho; andai por ele e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos."

É o momento de pararmos tudo, mas tudo mesmo, todos projetos e planos, e nos prostarmos aos pés do Senhor Deus de Israel e chorarmos com grande grita! Devemos apregoar santo jejum em toda a igreja e buscarmos a face do Senhor. É momento de arrependimento! É momento de chorarmos pelo nosso pecado, por permitirmos que o mundo nos transformasse e não o contrário! É momento de pedirmos ao Senhor perdão e libertação dos ídolos e de suas heresias que trouxemos para dentro da igreja afim de atrair seus seguidores para nosso rol de membros.

Ainda há tempo, mas precisamos começar já a REFORMA DA IGREJA!

Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas! Ap.2:29

Nenhum comentário:

Postar um comentário