O discipulado e as células

Ao observamos o maravilhoso, e carregado de verdade, texto do Pr. Juraci Miranda transcrito no post anterior, somos  remetidos a refletir sobre ígrejas em células e o ministério de discipulados.

Por aqui não se pretende pregar discordancia da visão de igrejas em células, longe disso!  Quando estudamos a palavra de Deus podemos identificar com clareza as igrejas celulares que se reuniam nas casas (livro de Atos), por exemplo.

A questão aqui levantada é que, na atualidade, no implantar do modelo de igreja em células, desmontaram os grupos de discipulados e mataram os ministérios dos discipuladores. O foco principal da visão celular é o crescimento da igreja (multiplicação), não na formação de discípulos. A visão da igreja em células é crescer e multiplicar o máximo e mais rápido possível, deixando de lado o foco no discipulado e na formação do caráter cristão verdadeiro de um genuíno seguidor de Jesus Cristo.

Focar simplesmente no crescimento torna-se meta humana e um jogo de alcance de metas. Basta pensar como se fosse uma empresa, estabelecer propósitos, foco, criar bons planos e estratégias, ser um líder de excelência, aglutinar pessoas que comprem sua visão e se unam a você na execução das mesma. Depois é trabalhar bastante, cumprir metas, massagear o ego humano com o orgulho do sucesso de se ter alcançado o resultado de maior destaque e  festejar, premiar, reconhecendo publicamente o feito dos mais eficazes no alcance de metas. Pronto, a fórmula é um sucesso! Muito trabalho produz muito crescimento.

Jesus em sua Palavra ensina que a igreja deve crescer e se multiplicar. Isto é claro, óbvio e inconstestável! Entretanto não encontramos o ensino da multiplicação à qualquer custo. Na verdade a ordem é de fazer discíplulos. Fazer discípulos é cuidar, forjar o verdadeiro caráter cristão, tratar as feridas e o pecado, limpar e confrontar a mentiva, implantar a verdade, santificar todas áreas da vida, tirar o pecado, ministrar o arrependimento, a reconciliação e o temor de Deus. Pregar a palavra de Deus sem pregar a obediência à ela, é perda de tempo e destruição da igreja.

Antes de pensar em multiplicação, é mandatório pensarmos em multiplicar o que é santo. Árvore ruim produz frutos ruins. Árvore boa produz frutos bons. Por isso Jesus disse que corta árvore que não produz frutos (João 15). Jesus quer multiplicação de discípulos (Mat. 28:19) seus e não de gente com a vida "de qualquer jeito".  Jesus limpa a árvore que dá bons frutos para que ela dê mais frutos, mas corta que não dá frutos. Que frutos são esses? Fruto do Espírito Santo descrito em Gálatas 5: 22 a 23. Os discipuladores são os agentes de Deus para limpar as árvores que são os discípulos. Discípulos de Jesus multiplicando discípulos de Jesus e uns limpando aos outros, para gerar cada vez mais discípulos.

Na visão celular a multiplicação é eixo central. Ensina-se a palavra, mas não foca-se no discipulado. Discipulado é forjar pessoas. Forjar pessoas na doutrina dos apóstolos bíblicos, nos ensinos de Jesus, nas veredas de Deus, nos fundamentos da Palavra, certamente gerará confrontos com os pensamentos, interesses, desejos e comportamentos particulares das pessoas, desta forma, muitos não gostarão, não aceitarão o forjar pelo fogo da palavra viva de Deus, aí o crescimento poderá estar comprometido.

Para evitar desagradar as pessoas e comprometer a multiplicação, as células são compostas de pessoas que vão para escutar a palavra de Deus, não vivê-la e ser transformado por ela. Vão e são contagiados pelo foco da festa da multiplicação, e assim gerar outras células. Mas são células cheias de pessoas doentes, sem compromisso verdadeiro com a palavra de Deus, sem trasnformação verdadeira em sua vida, assim, não são discípulos, são seguidores.

Quando olhamos para o discípulo deve ser possível enchergar o Mestre. Quando olhamos para os componentes das igrejas hoje, e suas células, podemos enchergar Jesus Cristo? Ou podemos enchergar o comum, o igual, o semelhante ao mundo. Os cristãos de hoje são semelhantes às pessoas do mundo, não porque o mundo está mais próximo de Jesus, mas exatamento o contrário! A igreja está mais distante de Jesus e mais perto do mundo.

Antigamente os cristãos faziam diferença entre o santo e o profano. Era enorme a diferença entre crente e não crente! Por causa da diferença gritante crentes eram rejeitados e discriminados. Hoje ser crente é "ter status", é um título legal, todos querem ser! Afinal, cristão hoje veste as mesmas roupas das pessoas do mundo, escuta as mesmas músicas, lê os mesmos livros, assiste os mesmos programas de TV, os mesmos filmes de cinema, vai aos mesmos bares, bebe as mesma bebidas, tudo igual!

Quem ousaria condenar e expor esta vergonha? Quem se atreveria a denunciar tal imoralidade de comportamentos? Até citam o que disse Jesus: "Quem não tem pecado atire a primeira pedra." Pegam os textos fora do contexto e criam pregações imorais e ensinos de demônios, doutrinas humanas do "tudo vale" e do "tudo se aceita". Isso tudo para que a igreja não pareça um lugar incômodo para ninguém, onde seus valores seja confrontados. Isso é um absurdo contra a Palavra Viva de Deus.

O toque da trombeta de Deus e o grito dos atalaias profetas é para um despertar urgente da igreja e um acordar dos remanescentes. É hora de reformarmos a igreja, restabelecermos os ministérios dos discipuladores e avivarmos, e reafirmarmos, os fundamentos e oráculos do Deus de Israel no seio da igreja. É hora de forjar pelo fogo vivo da palavra de Deus os discípulos de cristo, que se destacam e diferem do mundo.

Homens e mulheres de Deus, imagem e semelhança de Cristo Jesus, totalmente distoados dos comportamentos do mundo e completamente sintonizados com os fundamentos da palavra de Deus. Discípulos que iluminem com a luz de Cristo onde estiverem e todos possam saber: - Aquele não é dos nossos, aquele é diferente, aquele incomoda, aquele fala outra linguagem, aquele não é deste mundo, é de outro reino.

Discipulado e formar discípulos dá trabalho, é custoso, é confrontador. Mas se tivermos discipuladores e discipulado, teremos discípulos. Células, grupos, de discípulos produzirão outros discípulos e assim teremos igreja de discípulos. Inicialmente parecerá que o crescimento da igreja está mais lento, mas devido ao processo de cura interna da igreja, precisamos passar por isso. É hora do juízo começar pela casa de Deus. Depois assistiremos um crescimento sadio, fenomena,l como era no início da igreja em Atos dos Apóstolos.

A perseguição, a diferença, a rejeição e a discordância do mundo, certamente crescerá. Mas estes são sintomas saudáveis da diferença entre igreja e mundo. Esta diferença entre os discípulos de Cristo Jesus e o mundo, exatamente é o que que produz um atrativo irressitível para aqueles que são do mundo. Basta lembrar como a luz acesa na mata atraí as mariposas e insetos da noite, eles são atraídos exatamente por aquilo que os incomoda, a luz. Quanto temos um ferida na boca, continuamente encostamos nossa lingua na ferida, pois o diferente da ferida incomoda e lembra que ela está ali. O igual não incomoda, não distoa, quem faz isso é o diferente.

Quando olhamos para dentro das igreja vemos uma enorme multidão, mas são, na sua maioria, iguais as multidões do mundo. Pode ser difícil identificar um cristão verdadeiro, um discípulo genuíno de Cristo. Mas tem uma técnica para encontrá-los, basta procurar por aquele irmão taxado de fundamentalista, de retrógrado e de tradicional. Geralmente ele é aquele irmão rejeitado pela massa da multiplicação. Ele é o incompreendido, o isolado e o renegado. Vive gritando pelo retorno à simplicidade da palavra, pelos grupos de oração, pela escolas dominicais, pelos hinos tradicionais cristãos, pelos grupos de discipulados e contra o pecado. Esse discípulo genuíno de Cristo é considerado pela massa do crescimento um "sem visão", um "fora da visão", um chato, um "do contra". Mas basta dar uma chance para eles, parar um pouquinho para escutá-los e estaremos escutando a Jesus Cristo e dele um forte chamado para o retorno às veredas antigas de Deus (Jeremias 6:16).

Reflete igreja! Saia do mundo igreja! Volta igreja, para seu noivo Jesus!

Reforma da igreja já! Discipulado já! Formar discípulos de Jesus Cristo já!

Que venham as células, mas compostas de discipuladores e discípulos com foco na santidade e na Palavra.

Disse Jesus: "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo (Mateus 28:19)

Onde estão os discípulos do Senhor Jesus?

" Hoje, muitos são chamados de cristãos, mas nem todos são discípulos de Cristo. Os discípulos (da igreja primitiva) por serem imitadores de Cristo, se pareciam com Ele e por isso foram reconhecidos, identificados e chamados de cristãos. Foram chamados de cristão depois de já serem discípulos. Não antes.

Quando penso em um discípulo de Jesus, penso em alguém vivendo a partir dos ensinamentos e exemplos do mestre. Penso em alguém que em sua vida, Jesus está acima de todas as coisas e pessoas, acima de si mesmo e de seus interesses.

Imagino que nossa prioridade é: Ser discípulos de Jesus. Será que não está na hora de a igreja voltar a ser uma igreja de discípulos do Senhor Jesus?

Há algumas diferenças entre ser cristão e ser discípulo. Refiro-me ao contexto em que vivemos onde os olhos e corações de muitos estão voltados para as coisas debaixo, e não do alto. Num contexto de pessoas desiludidas, frustadas, influenciadas por um modo de pensar que não reflete a vontade de Deus.

Ser cristão no sentido usual (e atual), é frequentar uma igreja qualquer, que fala de Jesus; é ir aos cultos, ou não, sem prestar contas a ninguém; é, até mesmo, ouvir uma boa palavra de um pregador qualquer; ser cristão, hoje, é ser qualquer um (igual a todos, igual ao mundo).

Hoje está aqui, amanhã está lá! Ser cristão (atualmente) é não ter compromisso com o ensino sistemático das Escrituras (somente a escritura, pura, única e simples), mas com um ensino alternativo (permissivo e contaminado), valores alternativos. Posso estudar a bíblia, mas isto é optativo. Ser cristão (atualmente) é estar livre de qualquer responsabilidade; é ser dono de nosso próprio "nariz". É levar a vida de acordo com a nossa própria vontade, ignorando que Deus quer cuidar de nós, em um Corpo que interage entre si, uns com os outros: " TODOS OS QUE CRERAM ESTAVAM JUNTOS E TINHAM TUDO EM COMUM." Atos 2:44.

Ser cristão ou ser discípulo? Eu quero ser discípulo, porque antes de ser cristão, devo ser discípulo.

Ser cristão hoje é ser comum, ser discípulo é ter uma identidade com alguém. É seguir seguir o mestre. É viver o  modelo de vida de nosso mestre: Jesus. Ser discípulo é saber quem Jesus, de fato, é. É ter referencial de conduta, fé e prática (prática dos fundamentos bíblicos, dos ensinos de Jesus, da doutrina dos apóstolos bíblicos e da caminhada pelas antigas veredas de Deus - Jer.6:16).

Ser discípulo é ser feito (moldado, modelado). Discípulo não nasce pronto. "Eu vos farei pescadores de homens" (Mc 1:17), "Ide, fazei discípulos...". "Eu vos farei...". O discípulo acontece fruto de um trabalho intenso e exaustivo de um discipulador. O fazer discípulo demosntra a atitude daquele que se deixa conduzir num processo de discipulado, para uma marcante transformação.

Fazer discípulo é tornar alguém diferente daquilo que vem sendo na vida.

>>> Textos escritos pelo Pr. Juraci Miranda <<<

>Extraídos do semanário da Igreja Batista Manancial da Graça (Ano II - n°4 - abr/Mai/2012) <

OBS.:  Textos entre parênteses são acréscimos deste blog e não pertencem ao texto original.

VISITE A IGREJA BATISTA DA MANANCIAL DA GRAÇA
Rua Júlio de Castilho, 281 - Cinquentenário / BHte - MG

Como chegar na Igreja > Clique no Link Google Maps abaixo:
http://maps.google.com.br/maps?q=R.+J%C3%BAlio+de+Castilho,+281+-+Cinq%C3%BCenten%C3%A1rio,+Belo+Horizonte+-+MG&hl=pt-BR&ie=UTF8&sll=-14.239424,-53.186502&sspn=40.738008,55.019531&oq=rua+jul&hnear=R.+J%C3%BAlio+de+Castilho,+281+-+Cinq%C3%BCenten%C3%A1rio,+Belo+Horizonte+-+Minas+Gerais,+30570-080&t=m&z=16