Essa paz que sinto em m'alma

A paz que sentimos em nossa alma é algo muito legal. Ela pode ser um instrumento bastante eficaz para mensurar o nível de relacionamento que temos com Deus.
Quando uma pessoa está bem emocionalmente, tem dinheiro para suas necessidades, os relacionamentos interpessoais vão bem, a saúde está em dia, tudo no trabalho ou escola segue sem percalços e a família está bem, é natural que ela esteja em paz.

Quando uma pessoa vive situações de dificuldade, com momentos avessos e contrários aos citados no parágrafo anterior, é natural que esteja com falta de paz.

Entretanto nota-se um fenômeno muito interessante em algumas pessoas. Umas têm tudo que necessitam, nada lhes falta e até sobra. Olhando para elas e suas vidas, pode-se dizer: - De fato esta pessoa tem de tudo, deve ter grande paz em sua vida! Mas esta afirmação nem sempre é verdade! Uma pesquisa cuidadosa sobre tal pessoa, as vezes pode mostrar que apesar de abastada, ela é triste, deprimida, desanimada e sem paz.

Outro fenômeno também é possível reparar, e este ainda muito mais interessante! Algumas pessoas, entre várias agruras da vida, estão doentes, falta-lhes recursos financeiros ou a família está passando por turbulências, e assim, pode-se dizer: De fato esta pessoa tem sérios problemas, deve ter completa falta de paz em sua vida! Mas observando-se com cuidado é possível registrar que tal pessoa tão sofrida, vive uma grande paz, um mar de tranqüilidade.

O que ocorre então? Ocorre que as coisas, as situações, os bens e as pessoas não são determinantes para a presença ou falta de paz. Determinante para existência da paz na vida de alguém é a fé e o relacionamento que se tem com Deus e com  seu filho Jesus Cristo.

Quanto maior o nível de intimidade que uma pessoa possui com Deus, sua Palavra, seus preceitos e fundamentos, maior será o nível de paz que ela experimentará em sua vida. O ter e o não ter, não serão fatores determinantes para a presença de paz em sua vida. Mas o ser em Cristo e o conhecer de sua identidade em Deus é que determinarão sua paz e tranquilidade.

Um exemplo bíblico muito oportuno para clarear o que aqui se pretende elucidar está em Lucas capítulo 8, versículos 22 a 25. Lá temos um registro muito interessante! Jesus e seus discípulos estavam num barco para atravessar um lago. Num ponto da travessia Jesus adormeceu e grande tempestade caia sobre o lago e assolava o barco. Os discípulos estavam desesperados com a chuvarada, o vendaval e as ondas. Mas seu mestre estava em um grande e profundo sono. Eles temiam pelo barco virar e todos morrerem.

Se todos estavam no mesmo barco e debaixo da mesma tempestade, porque Jesus estava despreocupado dormindo profundamente, enquanto os discípulos se comportavam com total desespero e pavor? A resposta é bem evidente nos versículos 24 e 25 de Lc 8:

“24-E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, perecemos. E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança. 25-E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?”

A diferença no comportamento de Jesus e seus discípulos estava justamente na fé e na identidade que cada um conhecia de si. Jesus tinha completa fé no cuidado, proteção e livramento de Deus Pai, além de saber que sua identidade era de Filho amado de Deus. Ele sabia que tudo poderia estar desmoronando ao seu lado, mas ele seria livre, porque o Pai tinha o melhor para ele e tudo no final seria resolvido.

Os discípulos eram desprovidos de fé, acreditavam somente naquilo que seus olhos físicos podiam ver e não confiavam sem vacilar na paternidade de Deus. Assim pensavam que eles  próprios tinham que fazer alguma coisa, pois certamente Deus não faria, e eles morreriam.

Gritante a diferença entre Jesus e seus discípulos não? Este é o mesmo tipo de atitude que faz diferença para que as pessoas tenham ou não paz em suas vidas: - A FÉ E O CONHECER SUA IDENTIDADE  DE FILHOS DE DEUS.

Se tivermos fé em Deus e seu Filho nosso Senhor Jesus Cristo, em nada duvidando, e conhecermos nossa identidade em Deus através de um íntimo relacionamento com Ele e sua palavra, certamente, tendo escassez ou excesso de coisas, tempestade ou bonança, doença ou saúde, nada fará diferença ou significância, teremos paz, muita paz, a paz de Cristo que excede todo entendimento ( Filipenses 4: 7 ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário