Os remanescentes


Deus envia os seus profetas e os seus sábios servos para revelar sua vontade, sua palavra e as suas verdades. Porém os homens cegados por sua ganância e sede de poder, interpretam essas revelações conforme os seus próprios interesses e criam as religiões. Estas sendo preconceituosas e defendendo seus interesses, tornam-se inimigas entre si e brigam competindo sobre quem está com a verdade, chegando assim às guerras e à violência.
Por fim, com o álibi de se estar pregando o evangelho de Cristo demonstrando amor e caminho de salvação, arrebanham multidões, mas de pessoas que seguem como zumbis, totalmente desprovidas de raciocínio no conhecimento da verdade de Deus e de sua palavra. Tais pessoas desprovidas da sabedoria e do conhecimento de Deus acabam tornando-se preconceituosas, sem amor, partidaristas, facciosas, odiosas e fazem pouco, ou nenhum, caso do seu próximo.

Toda a palavra de Deus e de seus profetas se resume em duas coisas muito simples que é amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao seu próximo como a ti mesmo (Ver Mateus 22: 34 a 40).

Assim as igrejas estão inchadas, cheias de adeptos, riquezas, poder, reconhecimento na mídia e muita prosperidade de bens deste mundo. Porém a igreja está longe, mas muito longe, de ser a igreja de Cristo, a noiva adornada, cheia de poder e unção, que ama sem preconceitos ao próximo, que não é religiosa, que não quer adeptos e nem números, mas que quer vidas salvas em Cristo para viverem a verdade de Deus e de sua palavra (Ver Apocalipse 3: 14 a 22).

O que hoje se vê ocorrer no seio das igrejas é triste e desanimador. Vemos a máquina da igreja sendo usada para autopromoção e/ou enfrentamentos entre denominações, na busca de alargar territórios e os números do rol de membros.

Observe o que ocorre em sua congregação, como é o comportamento, atitudes, valores e como são tratadas as pessoas, independentemente de sua riqueza, fama ou proeminência na sociedade. Peça discernimento a Deus e veja se o que é pregado nos altares é exatamente o que se vive. Faça como os judeus de Beréia que examinavam as escrituras (palavra de Deus) continuamente para confirmar se as coisas que os apóstolos pregavam estavam de acordo com as escrituras e eram verdadeiras (Ver Atos 17: 10 a 12).

Se discernir algo errado, comece a orar pedindo a Deus por sua liderança e seus irmãos, para que ocorra uma transformação profunda e que toda verdade seja revelada, bem como todo engano. Nunca se rebele contra sua liderança ou congregação, nunca difame ninguém, pois isso trará maldição e destruição em sua vida e na de seus irmãos. Tenha esperança, fé, domínio próprio, amor, confiança, zelo, respeito, temor, tremor, sabedoria, santidade, vida de oração e dedicação, e no final, verás que és um remanescente de Deus e tudo se resolverá com a vitória da palavra e das promessas de Deus.

Os remanescentes de Deus existem, estão por aí. Eles não se enganam, pois são guiados pelo Espírito de Deus, pelo amor genuíno a Deus e ao próximo. Eles são como Jesus, são simples, não são reconhecidos e nem valorizados por ninguém. Eles andam no meio do povo, recebem e dão atenção a todos, são desligados de qualquer religiosidade, preconceito, sede de fama, poder e domínio, Têm seus corações voltados à palavra de Deus e à sua causa, a causa nobre da evangelização pura e simples para a salvação e libertação de almas.

Os remanescentes de Deus precisam se reunir, precisamos orar por isso! O exército de Deus precisa se formar e se organizar, antes que seja tarde demais. A violência, a falta de amor, de caráter, de respeito e de valores dominou este século e isso é culpa da igreja e de seus líderes que só pensam em si e no seu poder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário